A biblioteca Universitária e as competências informacionais. Da, H. and Carlos, S.
A biblioteca Universitária e as competências informacionais [pdf]Paper  abstract   bibtex   
Dentre diversas outras ações que pode-se realizar na biblioteca universitária afim de que esta atinja seu objetivo, acredita-se que seja importante cultivar ações e discursos que tenham o poder de mudar o preconceito que as pessoas trazem consigo de experiências anteriores (ou ausências delas), em bibliotecas. Como exemplo, coloca-se abaixo texto de Santana (1989) que aborda transferência de informação, seus problemas e perspectivas e contextualiza explicitando o lugar-comum do tema quando se fala em bibliotecas: De modo geral, o maior e por vezes o único serviço oferecido pela biblioteca universitária brasileira é o de empréstimo e consulta de livros aos estudantes de graduação. Um dos aspectos mais danosos dessa situação está no fato de que ela é encarada com naturalidade tanto pelos dirigentes e pela comunidade universitária em geral quanto pela maioria dos bibliotecários — os primeiros, por ignorarem que outros serviços poderiam obter desses órgãos e por considerá-los, essencialmente, um depósito de livros ao qual se recorre apenas quando é indispensável um empréstimo; os segundos, porque já se acomodaram ao estado de indigência das bibliotecas, como se essa situação fosse imutável e irreversível. [...]
@article{
 title = {A biblioteca Universitária e as competências informacionais},
 type = {article},
 id = {01660e3e-c533-3cc4-ad5a-f5ca10c1abc1},
 created = {2017-03-13T15:32:12.000Z},
 file_attached = {true},
 profile_id = {06b627cf-c50c-3a38-83cf-d4ec6aa67244},
 group_id = {46302765-27c6-3c57-9618-e15b2c93e0ea},
 last_modified = {2017-03-13T15:32:12.827Z},
 read = {false},
 starred = {false},
 authored = {false},
 confirmed = {false},
 hidden = {false},
 private_publication = {false},
 abstract = {Dentre diversas outras ações que pode-se realizar na biblioteca universitária afim de que esta atinja seu objetivo, acredita-se que seja importante cultivar ações e discursos que tenham o poder de mudar o preconceito que as pessoas trazem consigo de experiências anteriores (ou ausências delas), em bibliotecas. Como exemplo, coloca-se abaixo texto de Santana (1989) que aborda transferência de informação, seus problemas e perspectivas e contextualiza explicitando o lugar-comum do tema quando se fala em bibliotecas: De modo geral, o maior e por vezes o único serviço oferecido pela biblioteca universitária brasileira é o de empréstimo e consulta de livros aos estudantes de graduação. Um dos aspectos mais danosos dessa situação está no fato de que ela é encarada com naturalidade tanto pelos dirigentes e pela comunidade universitária em geral quanto pela maioria dos bibliotecários — os primeiros, por ignorarem que outros serviços poderiam obter desses órgãos e por considerá-los, essencialmente, um depósito de livros ao qual se recorre apenas quando é indispensável um empréstimo; os segundos, porque já se acomodaram ao estado de indigência das bibliotecas, como se essa situação fosse imutável e irreversível. [...]},
 bibtype = {article},
 author = {Da, Hugo and Carlos, Silva}
}
Downloads: 0