O "paradoxo" da democracia radical: Crise, protestos e perda de legitimação. Melo, R. Dois Pontos, 13(2):71–82, 2016.
O "paradoxo" da democracia radical: Crise, protestos e perda de legitimação [link]Paper  doi  abstract   bibtex   
Uma série de manifestações de protesto social têm apontado ultimamente para uma suposta crise da democracia. Este artigo propõe haver algo de paradoxal em tais manifestações: a democracia parece intensamente vive nos momentos de sua crise. Para interpretar este paradoxo, a teoria crítica da democracia precisa levar em consideração as experiências sociais e práticas políticas que se encontram fora das configurações institucionais e privilegiar assim a cultura política de uma esfera pública desorganizada, mas ativa, cujas ambiguidades compõem um dos aspectos mais importantes de nossa vida democrática.
@article{melo_o_2016,
	title = {O "paradoxo" da democracia radical: {Crise}, protestos e perda de legitimação},
	volume = {13},
	issn = {2179-7412},
	url = {http://revistas.ufpr.br/doispontos/article/view/43751/28896},
	doi = {http://dx.doi.org/10.5380/dp.v13i2.43751},
	abstract = {Uma série de manifestações de protesto social têm apontado ultimamente para uma suposta crise da democracia. Este artigo propõe haver algo de paradoxal em tais manifestações: a democracia parece intensamente vive nos momentos de sua crise. Para interpretar este paradoxo, a teoria crítica da democracia precisa levar em consideração as experiências sociais e práticas políticas que se encontram fora das configurações institucionais e privilegiar assim a cultura política de uma esfera pública desorganizada, mas ativa, cujas ambiguidades compõem um dos aspectos mais importantes de nossa vida democrática.},
	language = {Português},
	number = {2},
	journal = {Dois Pontos},
	author = {Melo, Rúrion},
	year = {2016},
	pages = {71--82}
}
Downloads: 0